Sapiossexuais, as pessoas que se sentem atraídas pela inteligência

 

 

Sheldon e Amy; The Big Bang Theory (Foto: Reprodução )

 

Quando se trata de atração amorosa ou sexual, há quem diga que amor é cego. Porém, conforme novo estudo, realizado por pesquisadores da Universidade Ocidental da Austrália, em alguns casos, ele pode até ser cego, mas, definitivamente, não é ignorante.

Publicada no periódico Intelligence, a pesquisa mostra que pessoas podem ser atraídas sexualmente pela inteligência de outros indivíduos. Em termos científicos, elas podem ser “sapiossexuais”.

Os cientistas formularam um questionário sobre interesses amorosos e percepções da inteligência, que foi respondido por 383 estudantes com níveis de inteligência considerada média, ou seja, QI acima de 100. A análise dos dados revelou que a sapiossexualidade pode ser medida por psicometria e que cerca de 1% a 8% dos jovens (entre 18 a 35 anos) podem ser sapiossexuais.

Isso não quer dizer que um indivíduo inteligente, avaliado com um alto QI medido por testes, necessariamente se identificará como sapiossexual. A atração pelo atributo mental, mas parece ter um limite: segundo os pesquisadores, os sapiossexuais são atraídos por indivíduos de QI elevado e que sejam classificados como mais inteligentes do que cerca de 90% da população. Já aqueles marcados como mais inteligentes do que 99% das pessoas são vistos como menos desejáveis.

Além da inteligência, outras características que as pessoas buscam em um relacionamento e que apareceram no questionário são personalidades estimulante e fáceis de lidar. No topo da lista, os estudantes analisados disseram buscar por parceiros que, além de inteligentes, fossem amáveis e compreensíveis. Afinal, um pouco de compreensão e carinho não fazem mal.

 

Fonte: Revista Galileu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *