Como a Inteligência Artificial está transformando a saúde

A digitalização dos dados é o elemento que impulsiona a eficácia da tecnologia associada à saúde.

O termo inteligência artificial foi, durante muito tempo, assunto que fazia parte dos romances e filmes de ficção científica. Os avanços da tecnologia, no entanto, garantem que ele esteja cada vez mais presente em nossa realidade.

Localização por meio de GPS, chamadas de vídeo e outros recursos fazem parte de nosso dia a dia graças aos desenvolvedores de programas que facilitam nossa relação com o mundo e nos permitem resolver de problemas de ordem prática.

Inteligência Artificial (IA) é um campo da ciência da computação que foi criado com o objetivo de elaborar dispositivos que sejam capazes de reproduzir ações humanas, como raciocinar, tomar decisões e resolver problemas, por exemplo. Graças ao desenvolvimento e aperfeiçoamento da informática, novos elementos podem ser rapidamente agregados à Inteligência Artificial.

A Inteligência Artificial tem causado profundos impactos na evolução tecnológica de indústrias e mercados. Nesse cenário, a área da saúde também vem sendo atingida, gerando um campo de relações multidisciplinares.

Médicos, enfermeiros e outros funcionários da área passam a desenvolver estratégias juntamente aos cientistas da informação para garantir maior versatilidade e segurança nas ações destinadas à prática da profissão.

A fim de garantir eficiência e excelência no atendimento aos pacientes, essa tecnologia está transformando o setor da saúde. Prontuários digitais, modernização nas pesquisas e coleta de dados avançada são alguns dos seus benefícios.

Além disso, ela tem feito parte de pesquisas que comprovam sua eficácia. Conheça alguns serviços de saúde que estão escrevendo um novo capítulo aliado à história da informática.

Diagnóstico preciso e multidisciplinar: A Inteligência Artificial atua por meio da criação de um banco de dados criado a partir de diagnósticos e procedimentos fornecido pelos médicos do mundo todo durante sua rotina de atuação.

Todas essas informações podem ser acessadas pelo profissional durante o acompanhamento, de forma a auxiliar acerca da abordagem terapêutica mais eficiente.

Nesse cenário, a Inteligência Artificial será capaz de sugerir um protocolo de com o histórico. Isso pode ajudar a identificar e prevenir riscos de epidemias, ter maior conhecimento sobre a eficácia dos medicamentos, combater vírus entre outros.

Eficácia e segurança no armazenamento de dados: O recurso da Nuvem já é uma realidade em muitas clínicas e hospitais. É possível criar prontuários digitais que agilizam o atendimento e fazem com que os profissionais se dediquem com mais atenção à saúde dos pacientes.

Dessa forma, processos burocráticos, como guias exames e solicitação de procedimentos, como medicações ou suturas são compartilhados na rede e cada setor do hospital pode ter acesso às informações e promover os cuidados com os pacientes em tempo hábil.

Gerenciamento de dados com maior agilidade: Por meio de registros eletrônicos inteligentes, os profissionais são capazes de coletar, armazenar e recuperar informações dos pacientes de forma rápida e eficaz.

Sensores e outros dispositivos, como leitor de impressão digital tornam o acesso do paciente aos procedimentos de forma mais segura, reduzindo consideravelmente a chance de erros.

Eficiência no tratamento de doenças: A tecnologia de ponta tem sido desenvolvida para promover melhorias e revolucionar o tratamento do câncer.

O uso das alterações genômicas, em vez dos tumores apresentados pelos pacientes, auxilia na otimização para a descoberta de formas de tratamentos mais eficazes.

Como já apresentamos no início desse artigo, o objetivo da Inteligência Artificial não é substituir, mas promover abordagens multidisciplinares para solucionar os problemas que fazem parte da área da saúde.

Por isso, nós podemos ficar tranquilos porque os robôs não vão substituir a capacidade de produção de conhecimento que só é possível porque os seres humanos raciocinam.

Por mais que a tecnologia nos revele perfeição, a presença humana é mais do que necessária na relação entre médico e paciente. Sabemos que o estado de saúde interfere no nosso comportamento e na forma como nos relacionamos com o mundo.

Por isso, o médico, os enfermeiros, o radiologista e outros profissionais continuarão nos dando assistência emocional, que também é um dos protocolos para o processo de tratamento das doenças. Assim como a Inteligência Artificial, a Inteligência Cibernética também vem sendo explorada para manter a proteção e a segurança dos dados armazenados contra ciberataques.

Dessa forma, o fluxo de informações pode ser compartilhado somente por pessoas autorizadas, sem que nenhum paciente fique exposto a cibercriminosos.

Fonte: Saúde Business.

 

Acesse nosso site para leitura de mais conteúdos como esse. Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *